Feijão de Corda

Produtora com foco em cultura, criatividade e educação. Quer saber mais? Venha #DarCorda com a gente!

Como não surtar com uma folha em branco?

Postado por em jun 10, 2016 em Cursos, Formação Criativa | Um Comentário

Aqui na Feijão a gente escreve pra caramba! É projeto, edital, e-mail, conteúdo para nossas redes sociais, recadinhos entre as produtoras e por aí vai. Por isso, não dá pra encanar (muito) com a tal síndrome da folha em branco. Eu, por exemplo, quando preciso produzir um texto que me demande um pouco mais de atenção, coloco o fone no ouvido e ouço músicas instrumentais. Este, por exemplo, teve como pano de fundo a trilha sonora do seriado Jessica Jones, do Netflix, disponível aqui pelo Spotify.

Sabendo que cada um lida com esse desafio de uma forma diferente e a fim de desmitificar um pouco este tabu, perguntamos para alguns profissionais que lidam com a escrita diariamente o que eles fazem para não encanar com a folha em branco. Ficou curioso? Quer ver se algumas dessas dicas também servem para você? Então se liga nas respostas:

“Pra não encanar com a folha em branco eu lembro que ela é rascunho, fichinha perto da vida em branco a ser toda escrita sem chance de passar a limpo.”

Juliana Correia, estudante de psicologia e blogueira

“Música, pesquisa e filtro zero. Escrevo todas as palavras que se relacionem com o assunto que preciso escrever e vou fazendo associações.”

Marina Moreno, planejamento estratégico

“A folha em branco é ferramenta para quem escreve. Para não encanar, basta encarar de frente. Deixo a insegurança de lado e começo a escrever o que vem em mente. As ideias chegam e tudo vai se organizando e preenchendo aquele espaço vazio.”

Milena Brasil, jornalista

“Nunca vejo a folha em branco como algo ameaçador. Encaro bloqueios criativos como uma dica de que preciso organizar melhor as ideias. Saio, respiro, me inspiro e então volto para preencher o vazio com palavras.”

Liz Passos, publicitária e blogueira

“Ponho fones no ouvido, o coração nas pontas dos dedos, solto a mão e escrevo, escrevo e escrevo.”

Larissa Reis, redatora publicitária e planejamento

“Cada um acaba desenvolvendo um método criativo próprio e pessoal. Antes de escrever, eu sempre passo por um processo interno muito intenso: “rumino” as ideias, pesquiso e busco referências e quando passo para o papel, o texto flui em uma cadeia criativa.”

Sara Galvão, atriz, roteirista e diretora.

“Eu penso: o que me trouxe até essa folha em branco? Que história eu queria contar? A missão de uma folha em branco é chegar a contar uma história.”

Vitor Vilar, jornalista

E você? O que faz para não encanar com a uma folha em branco? Compartilhe sua resposta aqui com a gente!

E se depois de todas estas dicas você quiser ir além e perder o medo da página em branco, confira a nossa oficina de escrita criativa Tráfego de Ideias. A próxima turma está com inscrições abertas!

1 Comentário

  1. Vânia Vergasta
    10 de junho de 2016

    Quantas folhas em branco já enviarei nessa vida de 56 anos? Dezenas, centenas, muitas, muitas vezes. O que colocar lá? O que não cabe dentro peito. O que vem do coração, o que queremos doar do que temos dentro. E o melhor disso? Descobrir depois que virou poema, crônica ou até mesmo um desabafo que emocionou e contagiou a outras pessoas a, também, se revelar.

    Responder

Deixe uma resposta

Visit Our BlogVisit Our BlogVisit Our Blog